14.5 C
Umuarama
segunda-feira, maio 27, 2024
spot_img
spot_img
HomeUmuarama PrFundação Cultural realiza curso grátis da arte decorativa decupagem

Fundação Cultural realiza curso grátis da arte decorativa decupagem

Curso foi ministrado pela artista plástica Leila Badocco, do Centro Cultural Vera Schubert

A artista plástica Leila Badocco ministrou, nesta sexta-feira (10), o workshop ‘Artesanato em Decupagem’, em mais uma ação aberta à comunidade pela Fundação Cultural de Umuarama. As alunas tiveram aprenderam, de graça, os processos iniciais da decupagem, arte decorativa de cobrir objetos e superfícies com tecidos, recortes de revista e outros tipos de papel.

Leila explica que um exemplo mais popular da decupagem são as caixas decorativas. “São caixinhas de madeiras, compradas prontas, feitas em MDF. Depois de decoradas, com tecidos, tintas, papéis comuns e especiais, ela se transforma em uma obra de arte, dando uma nova vida para os ambientes – casas, apartamentos, escritórios. A decupagem também ajuda a valorizar outros objetos que a pessoa tem em casa, como quadros, louças e até móveis inteiros”, comenta.

As alunas aprenderam que a cola branca é um dos materiais mais importantes no processo da decupagem, pois é com ela que se pode selar, colar e envernizar vários objetos e superfícies de madeira, de cerâmica, de gesso e muitos outros. “Também é muito bacana utilizar o papel transfer, que é uma folha bem fininha que serve pra estampar objetos como caixas de madeira ou MDF, potes de vidro, embalagens de plástico e até móveis. Tudo vai da criatividade de quem prepara as peças”, esclarece, acrescentando que a decupagem, além de uma arte, pode ser uma fonte de renda para as alunas.

Novos cursos de artesanato já estão no cronograma de atividades da Fundação Cultural de Umuarama, conforme comenta o secretário de Cultura Rodrigo Fernandes Pereira. “Mantemos sempre a arte, desde a mais simples até a mais erudita, na pauta da programação da Fundação Cultural. E as oficinas, capacitações, workshops e outras atividades são, via de regra, de graça. Por isso é preciso ficar sempre atento às redes sociais tanto da Prefeitura quando da Fundação”, afirma.

RELATED ARTICLES
- Advertisment -spot_img

Mais popular